sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

RenovaGreen


Para quem ainda não conhece a RenovaGreen, agora, esta marca comercializa papel higiénico, guardanapos, rolos de cozinha e lenços reciclados! Eu já os uso e estou muito satisfeita, tanto material como psicologicamente.
Porque pequenas diferenças poderão oferecer um futuro GRANDE.

"RenovaGreen

LOVE&ACTION
Quando a gente ama é claro que a gente cuida! Quando escolhe RenovaGreen está a ajudar a fazer deste planeta um lugar mais saudável e seguro.Os produtos RenovaGreen já gozaram de vida anterior. Resultam da nossa floresta urbana: papel recolhido em arquivos de escritório e sortidos de papel velho. Papel e embalagem são 100% reciclados. RenovaGreen é uma eco-idea Renova" - http://www.renovaonline.net/you_ipt.html




quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Reduzir. Reutilizar, Recuperar, Reaproveitar, Reciclar - A regra dos Rs


Porque a prioridade deverá ser a redução dos nossos resíduos produzidos.


Porque informação educativa e elucidativa é importante.

Porque depende de todos nós também aumentar as taxas de reciclagem em Portugal.
Miguel




domingo, 22 de novembro de 2009

Para reflectir...

Imagem das mais recentes cheias no Reino Unido

sábado, 7 de novembro de 2009

Um Espírito Revolucionário - Mobilizar Pessoas

Olá a todos os leitores deste blogue. Os meus sinceros cumprimentos a todos. Quero dizer-vos que este projecto AVE simplesmente não pode morrer. Está a ser muito difícil alcançar objectivos que à partida pareciam ser fáceis de cumprir. Mas a nossa esperança é infinita e a determinação absolutamente fantástica. Claro, que temos o objectivo de criar e formar uma Associação de Defesa do Ambiente. Mas, neste momento, o principal objectivo é mobilizar pessoas dinâmicas, com ideias, com espiríto livre e que acreditem realmente na importância desta Luta por um desenvolvimento Sustentável para o Planeta. Nós acreditamos na População Jovem deste país. E queremos mobilizar pessoas nessa faixa etária. Claro que estamos receptíveis a pessoas de todas as idades. Mas queremos criar um núcleo de juventude honesta, competente, contestatária, irreverente, ambientalista, revolucionária, humanista, activista, de espírito aberto, altruísta.
Um movimento, uma associação, um grupo, uma força, uma revolução seremos tudo isso, e muito e muito mais.
Nos próximos tempos começaremos a postar mais artigos. Teremos também de usar este blogue para deixar experiências de vida, concelhos ambientais, novidades ambientais, críticas, pontos de vista. Um espaço de total liberdade onde todos os colaboradores podem escrever sem entraves, censuras ou pressões.
Queremos Mais! Queremos Muito Mais!
Por uma nova Revolução!
Pelo Planeta
Miguel - AVE

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Animais - porquê um destino cruel?

A criação em série, como sobreviveríamos sem ela? Os testes em animais, seria a nossa esperança de vida tão elevada sem eles? A tourada é uma tradição, um espectáculo, ou mesmo, uma arte? A luta de cães ou de galos e as corridas de Galgos são a vida de muitos, a sua fonte de rendimento e a diversão de outros? Serão os animais objectos para melhorar as nossas condições de vida?
Muitas vezes, dou por mim a questionar a provada racionalidade e sensibilidade do ser humano. A crença e/ou aceitação de muitos relativamente às questões em cima mencionadas levam-me às interrogações: onde estará a justiça? Quem foi o idiota que criou Humanos assim?
A criação em série não é necessária, nem mesmo para uma população tão numerosa como a dos dias de hoje. Se cada um de nós reduzisse o consumo de peixe e de carne, carne principalmente, a nossa saúde beneficiaria, bem como seria possível, em alternativa à criação em série, uma criação mais justa, em que os animais poderiam ter uma vida quase digna.
Os testes em animais, já não são minimamente aceitáveis. Devido aos avanços da tecnologia e de um crescente número de cientistas empenhados, existem alternativas à Experimentação Animal. Estas são: seguras, inovadoras, fiáveis e não salvam apenas as vidas de animais, mas também providenciam os dados necessários em determinada experiência, num curto espaço de tempo.
A tourada, uma tradição, um espectáculo, uma arte? Como pode alguém afirmar isto? A tourada não é mais do que um acontecimento macabro, em que um animal é cobardemente perfurado por ganchos que rompem tecidos, músculos e provocam intensa dor. E pior que isto é haver uma plateia que gosta do que vê, que sorri para o sofrimento, que acaricia a dor.
Felizmente as lutas de cães e de galos já são consideradas ilegais. Já as corridas de galgos, que à primeira vista são tão inocentes, encerram um sofrimento injustificável. O que muitos desconhecem é o que está por trás destas. Nas matas circundantes aos locais onde são praticados estes eventos, são encontradas dezenas de galgos enfocados e abandonados, ou seja, os cães envelhecidos que já não dão lucro, vão para o “caixote”.

Que os animais sentem e sofrem com a dor já foi provado, que os mesmos possuem sentimentos está por provar. Mas cada vez mais, para mim, se torna obvio que eles os albergam. Um exemplo real: um cão que provoca a própria morte porque os donos morreram, parece-me uma prova irrefutável. Concluo apenas com a certeza de que quanto melhor conheço o Humano mais gosto dos animais.
Sara Lima

domingo, 11 de outubro de 2009

A nova questão moral

quando iniciei o meu primeiro ano da escola primária, 6 anos de existência, 6 anos de Planeta Terra, a infância era mais forte e a timidez perante o mundo, a timidez talvez um monstro. Bem, se existe algo que me ficou na memória desses primeiros anos de escola foi a regularidade e a certeza das quatro estações do ano - as tão naturais quatro estações que se sucediam certas ao longo dos 365/366 dias do ano. Marcava-se no tempo dos homens: anos de 1996, 1997 e 1998. Provavelmente, os mais velhos já se tinham apercebido de algum desajustamento e desequilíbrio climático. Para eles, existiam muitos anos anteriores para comparação. Bem, mas penso que as estações ainda se faziam sentir, cada uma distintamente da outra - Outono, Inverno, Primavera, Verão.
Hoje, fim de tarde do dia 11 de Outubro do ano de 2009, quase que posso dizer que ainda o Verão não terminou. Radiação solar muito intensa durante o período de maior calor, temperaturas a atingir os 28º C, abafamento de efeito de estufa, desregulação evidente dos regimes de precipitação, precipitação muito intensa durante curtos períodos de tempo, enfim, é evidente a desregulação do sistema climático e o seu desequilíbrio. O Verão pode durar até Novembro ou amanhã sermos invandidos por uma vaga de frio intenso. Ninguém consegue prever.
Desde finais dos anos 90 que qualquer ser humano nota a loucura do clima. Num tão curto espaço de tempo tudo se alterou. E nós - Humanidade - estamos dentro do Sistema Climático e contentamente observamos a loucura.
Nós, seres humanos, com as nossas extravagantes e arrogantes acções conseguimos alterar o sistema climático de um planeta de tão vasto universo. Todos somos absolutamente culpados. Sabemos o que é necessário fazer, no entanto ainda estamos muito presos à sociedade que se constituiu segundo o princípio de rejeitar as leis naturais.
Actualmente, falamos muito do processo de Reciclagem, da sua importância, mas não nos esqueçamos que a Natureza sempre a praticou. Tudo na Natureza se processa segundo um ciclo de não desperdício e de puro aproveitamento.
Por exemplo, as árvores crescem, constituindo-se a partir dos nutrientes que retiram dos solos, no entanto se sempre esses nutrientes fossem retirados dos solos sem lhes serem restituídos, os solos tornar-se-aim muito pobres em matéria orgânica. Por isso as árvores perdem as suas folhas. As folhas decompõem-se nos solos e restituem parte dos nutrientes...
Bem, finalizando este texto. muito já destruímos, muito já estragámos, muito já desequilibrámos, muito já matámos. Por isso, eu só tenho de acreditar e acredito nisto: Vale a pena lutar pela construção de um Futuro mais ecológico, mais sustentável, mais natural. Viva o movimento Ecologista e Ambientalista mundial!
Miguel Albuquerque Serraninho - AVE

Dossiês Usados e/ou Reciclados

Dossiês de cartão reciclado. Novos ou usados. Todos os materiais utilizados na parte da capa e contracapa do dossiê são Reutilizados, à excepção do papel autocolante.


Faz a tua encomenda, com a tua preferência de cores, disposição e imagens (Moda ou Carros, por exemplo).
Ficam aqui algumas possibilidades de Dossiês. Preço por unidade: 8 euros









AVE - Associação Verde Esperança

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Pequena Viagem à Simplicidade (Viver da natureza)

E que tal vivermos da forma mais natural possível? Depois de ver O Lado Selvagem rapidamente me invadiu uma emocionante ideia de viver apenas com aquilo que a natureza nos oferece. Ao contrário do filme, o que me incomoda não é tanto a “falsidade do ser humano”, mas sim o que há de inconsciente neste. A suposta melhor característica do Homem, aquela que nos distingue dos restantes animais, tem sido tão, ou tão pouco posta em prática que possivelmente nos matará num futuro próximo.
A destrutiva evolução faz-nos utilizar aquilo que precisamos e o que não precisamos. De dia para dia, se torna mais difícil controlar o nosso consumismo. E claro, faz todo o sentido, os produtos cada vez mais apetecíveis, os anúncios cada vez melhor concebidos, a facilidade de aquisição cada vez melhor armadilhada. Precisamos de um “big” lembrete! Respirar o verdadeiro ar; presenciar problemas que vivem tão longe (comida, higiene, segurança); viver com aquilo que precisamos e não com o que pensamos precisar. Preciso com urgência de respirar fundo tudo isto e saber como podia viver e como vivo.
Uma semana a contemplar as sãs oferendas da natureza, bastaria certamente para a razão me gritar enquanto me dava um valente puxão nos colarinhos, “ wake up, this is not a dream!”. Com esta pequena viagem à simplicidade, que pretendo realizar o mais brevemente possível, gostaria de, para além de tudo o que possa tatuar na minha mente, ainda incentivar quem estivesse disposto a fazê-lo. Só assim poderemos ter a real noção da discrepância entre aquilo que possuímos e aquilo que poderíamos possuir.

Sara Lima

domingo, 27 de setembro de 2009

Loja de Bens Usados - Livros de Apoio Escolar Usados

Livros de Apoio Escolar e Manuais Escolares Usados
1. Provas de Aferição do 3º Ciclo do Ensino Básico 2002-2004, Língua Portuguesa, Ministério da Educação - GAVE, 2005 --- 1,5 euros
2. Provas de Aferição do 3º Ciclo do Ensino Básico 2002-2004, Matemática, Ministério da Educação - GAVE, 2005 --- 1,5 euros
3. Provas de Aferição 2002-2004 e Exames Nacionais de 2005, 3º Ciclo do Ensino Básico, Matemática, Ministério da Educação - GAVE, 2006 --- 1,5 euros
4. Tabuada Ratinho, Professor Alfredo Cabral, Edição nº 75, Edição Papelaria Fernandes, Indústria e Comércio, S.A. (2 exemplares) --- 0,40 euros - 40 cêntimos
5. A Vida Passo a Passo, Jean - Benoît Durand, Ilustrações de Robin Gindre, aconselhado até 10 anos de idade, Miosótis --- 1 euro
6. Dicionário Escolar de Ciência, Neil Ardly, Dorling Kindersley, 1994 --- 5 euros
7. Inglês - Resumos das matérias. Actividades, exercícios e soluções, Júlia Viana, Regina T. Clementina, 10º Ano - O Essencial, Edições ASA --- 2 euros
8. Educação Física - 1ª, 2ª e 3ª Partes (3 Manuais), (10º/11º/12º Anos), Paula Romão e Silvina Pais, Porto Editora, 2004 --- 10 euros
9. Inglês (8º Ano), Colecção Essenciais - Livro Auxiliar, Porto Editora, 2003 --- 3 euros
10. Ciências Naturais - Terra no Espaço, Terra em Transformação, Colecção Essenciais - Livro Auxiliar, Porto Editora, 2003 --- 3 euros
11. Geografia - I - A Terra: estudos e representações, II - Meio Natural, III - População e Povoamento, Colecção Essenciais - Livro Auxiliar, Porto Editora, 2003 --- 3 euros
12. Passatempos de Ciências Físico-Químicas - 1º Volume, Criação Intelectual de Ana Paula Fonseca, Colecção Passatempos, Livro Auxiliar, Porto Editora, 2002 --- 1 euro
13. Português Ao Vivo - textos e exercícios, Hermínia Malcata, Lidel, 1998 --- 2,5 euros
14. Train your Mind - Exercite a sua mente, Coelecção Expresso, (livros 1 - 4) --- 0,30 euros cada ou 1 euro pelos 4 livros da colecção
15. Gramática Escolar - Língua Portuguesa (2º e 3º Ciclos do Ensino Básico), Ana Paula Dias, Fernanda Martins, Georgina Palma, Manuela Góis, Manuela Lapa, Colecção Universal, Texto Editora, 1999 --- 8 euros
16. Gramática da Língua Portuguesa - Nível Elementar - 2º Ciclo do Ensino Básico, Maria Beatriz Florido, Maria Emília Duarte da Silva, Porto Editora, 1996 --- 5 euros
17. Nova Gramática de Português, Carmen Nunes, Maria Luísa Oliveira, Maria Leonor Sardinha, Didática Editora, 2001 --- 12 euros
18. Grammarway 4 with answers, Jenny Dooley, Virginia Evans, Express Publishing,1999 --- 10 euros
19. Essential Grammar in Use with answers, Raymond Murphy, 2nd Edition, Cambridge University Press, 2000 --- 12 euros --- OFERTA de Essential Grammar in Use Supplementary Exercises with answers
20. Grammaire Progressive du Français - Niveau débutant (2º e 3º Ciclos), Maia Grégoire, Porto Editora, 2002 --- 7 euros
21. Exercícios de Matemática 7º Ano (Partes 1 e 2), Maria Augusta Ferreira Neves, Maria Luísa Monteiro Faria, Livro Auxiliar, Porto Editora, 2001 --- 8,5 euros

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Loja de Bens Usados - Roupas Usadas


Cachecol Vermelho
Preço: 4 euros
Tamanho: Comprimento 235 cm
Marca: United Colors of Benetton
Material: Lã





Costas



Vestido Azul Escuro
Preço: 2 euros
Tamanho: S
Marca: Stradivarius




Camisola castanha
Preço: 5 euros
Tamanho: S/M
Marca: Promod
Material: Lã





Túnica Vermelha
Preço: 3 euros
Tamanho: S/M
Marca: -
Observações: Elástica. Nunca foi usada.




Calções de Criança
Preço: 5 euros
Tamanho: 5-6 anos
Marca: Zara
Material: Ganga





Vestido Safari de Criança
Preço: 6 euros
Tamanho: 6-7 anos
Marca: H&M
Observações: botões tipo mola, muito prático

domingo, 20 de setembro de 2009

Greenfest

Olá a todos!
Decidi partilhar a minha experiência acerca do Greenfest-Gestival Ecológico que decorre entre 18 e 25 de Setembro no Centro de Congressos do Estoril.
Gostei muito!
No Centro de Congressos encontravam-se vários expositores a propósito da temática ambiental.
Realço o expositor Fapil que achei particularmente interessante por ser uma empresa que fabrica sacos biodegradáveis (a partir de amido de milho).
Também se podiam realizar algumas actividades como o yoga do riso, meditação,workshops entre outras.
No espaço Fiartil existia o Swap Market( espaço de troca de roupa, livros,etc.), mercado do biológico Agrobio e workshops temáticos.
Durante a semana passada realizaram-se diversas conferências muito interessantes e na próxima semana também irão decorrer.

Aconselho a visita a quem tiver oportunidade.

Ficam as fotos:



sábado, 19 de setembro de 2009

Peças de Arte Ecológicas











Bonecas de Arame feitas à mão por Sara Lima - Membro Equipa AVE
Estas peças têm aproximadamente 35 cm de altura e 13 cm de largura.
A possibilidade de criação artística sempre nos estimulou. A possibilidade de nos sonharmos livres, autênticos e universais levou-nos à realização das maiores peças de Arte. Hoje, aqui deixamos um Novo Projecto: Projecto Arte Ecológica.



Principal Objectivo do Projecto Arte Ecológica: Estimular a Reutilização de Materiais e Objectos em Fim de Vida. Os resíduos devem sempre ser considerados Matéria-Prima.



Todas as peças de arte podem ser vendidas. Parte do dinheiro será enviado para o autor, outra parte para a AVE.
Todos as pessoas que decidirem participar podem contactar-nos por correio electrónico.


Miguel Serraninho - equipa AVE

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Loja AVE - Loja de Bens Usados (Projecto AVE)

Loja AVE. Este será um dos projectos AVE. A Loja AVE será uma loja virtual que funcionará da seguinte maneira:
1. Todos os objectos e materiais (sempre pelo menos em segunda mão) serão doados pelos membros da equipa-base, associados, simpatizantes e todas as pessoas que desejarem colaborar.
2. O valor monetário do objecto será sempre inferior a 50% do valor do objecto do anterior proprietário.
3. Haverá o real interesse de aplicar um valor monetário muito acessível.
4. Todo o dinheiro reunido servirá unicamente para pagamento de custos de Futuros projectos AVE.
5. Os objectos aceites nesta Loja AVE serão objectos de utilidade evidente. Aqui fica uma lista de possíveis produtos usados:
- Roupas e Calçado
- Mobiliário
- Livros (incluído os Manuais escolares do Ensino Básico, Secundário e Universitário)
- Cds e Dvds
- Equipamentos Eléctricos e Electrónicos em funcionamento
- Material Escolar
- Brinquedos
- Bicicletas, Triciclos para crianças e Trotinetas
- Equipamentos para a prática desportiva
- Instrumentos Musicais
- Malas, mochilas, pastas
- Objectos vários de utilidade evidente
- Etc
Todos os objectos doados ficarão presentes em espaço a definir. As entregas podem ser feitas em mão ou por correio. O envio dos produtos pode ser feito em mão ou por correio. O custo de envio será pago pelo comprador.
O objectivo primário deste projecto AVE está relacionado com a Reutilização de Objectos e Materiais ainda em bom estado físico que não devem nunca ser encaminhados para Aterros Sanitários ou Lixeiras.
O segundo objectivo passa por arranjar uma forma de financiar futuros projectos AVE.
Projecto em FASE de DESENVOLVIMENTO.
Miguel António de Albuquerque Serraninho - membro equipa-base AVE
AVE

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Diário de um Ambientalista

Ser Ambientalista, não tendo praticado um estilo de vida muito ecológico durante grande parte da vida, obriga a uma atenção constante a todos os pormenores nas nossas actividades diárias. Exige um elevado grau de consciência pós-acção. Mas é sem dúvida um desafio extraordinário. Treina-se a organização e a simplificação. Ter um estilo de vida com impacto nulo no nosso Ambiente é de facto impossível. O objectivo deve ser minimizar ao máximo o nosso impacto no Ambiente. Se todos os seres humanos assim procedessem notar-se-ia notórios avanços civilizacionais. No entanto, constatar diariamente que constituimos a nossa sociedade baseando-nos sobretudo nos combustíveis fósseis, deixa qualquer Ambientalista assustado e em pânico. Podemos reduzir o consumo de Combustíveis Fósseis, é certo, mas nem isso resolve quase nada. E esta é uma das questões centrais. Também o facto de não termos bem a noção do que estamos a fazer exactamente ao Planeta ao estarmos a aumentar as concentrações de gases de efeito de estufa nos deveria deixar realmente alarmados. Acho que ainda há muito a fazer. E a civilização terá de lutar por um Planeta estável climaticamente. A AVE será uma boa energia nesta Luta, talvez a maior Luta do século vinte e um.
M.
Ambientalista em processo.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Início de Diário de um ambientalista

Sou membro da equipa da AVE - Associação Verde Esperança. Tenho 19 anos. E quero num futuro próximo tornar a minha vida o mais possível ecológica. Ainda não me considero Ambientalista ou Ecologista, mas quero num futuro próximo aproximar-me desse estilo de vida. Ao longo dos dias, das semanas, dos meses e dos anos irei escrever para este blogue. Irei falar dos meus hábitos, dos meus comportamentos mais amigos do ambiente. Irei falar das falhas e das dúvidas. Das coisas que não faço mas quero passar a fazer. Falarei da minha evolução enquanto cidadão consciente. O meu objectivo? O meu objectivo é que muita gente leia as minhas palavras. Que também me escrevam. e me façam perguntas. e que consigam também transformar as suas vidas em vidas com menor impacto ambiental possível. Não deixa de ser um desafio estimulante. Para mim será um grande desafio. Apesar de já ter muitos comportamentos e hábitos amigos do Ambiente, quero continuar a melhorá-los e evoluir no sentido de reduzir a minha Pegada Ecológica. Actualmente há situações que me queriam verdadeiros sofrimentos como desperdícios que verifico de Energia e Materiais. Eu sou apologista de uma sociedade que tudo faz para evitar desperdícios. Absolutamente contra qualquer tipo de desperdícios. Qualquer que seja a actividade que farei na minha vida daqui em diante irei sempre tentar tomar consciência do impacto que essa actividade tem no Meio Ambiente. Haverá situações em que terei de me privar materialmente. Mas ficarei extremamente feliz. Por exemplo, actualmente não compro, nem uso perfumes, pois os frascos que os contêm ainda não são recicláveis. Não cheiro bem, mas mal também não cheiro.
Até à próxima!
Ambientalista em Processo.
M.

domingo, 2 de agosto de 2009

Conselhos Ambientais (2ª parte) - Redução dos consumos energéticos

Redução dos consumos energéticos

1. Substitui todas as lâmpadas incandescentes por lâmpadas economizadoras (por exemplo, lâmpadas fluorescentes compactas)

2. Tenta sempre tirar o melhor partido da iluminação natural

3. Evita desligar os aparelhos a partir do comando remoto, desligando-os directamente no botão

4. Desliga directamente os equipamentos da tomada. Em alternativa, podes adquirir tomadas eléctricas com corte de corrente. Assim após a utilização dos aparelhos basta deligá-la no interruptor

5. Desliga o monitor sempre que te ausentares do computador

6. Podes gerir da melhor forma o consumo de energia do teu computador, quando não está a ser utilizado no momento. Procura no painel de controlo a opção de Gestão de Energia ou Opções de Energia. Aí podes escolher o modo de desligar o monitor ou disco rígido após determinado tempo sem utilização. Outra alternativa é activar a opção de hibernação

7. Se estiveres indeciso entre comprar um portátil ou um computador de secretária deves ter em atenção dois factores: o computador portátil consome menos energia que o computador de secretária, mas este último permite actualizar/melhorar o computador ao longo dos anos

8. Prefere electrodomésticos que optimizam o consumo energético (categoria A++)

9. Utiliza sempre a carga máxima nas máquinas de lavar roupa e lavar loiça

10. Utiliza os programas ECO já disponíveis na maioria dos modelos de máquinas de lavar roupa e lavar loiça

11. Limpa periodicamente os filtros dos equipamentos

12. Ajusta a temperatura do termóstato dos equipamentos de frio de modo a impedir a formação de gelo: 3ºC a 5ºC para o frigorífico e - 15ºC para o congelador

13. Põe de lado a máquina de secar roupa e seca a roupa no estendal

14. Reduz a utilização dos sistemas de climatização, investindo em bons isolamentos na habitação, como, por exemplo, em janelas com vidro duplo

15. Durante o Verão, corre os estores durante o dia e, ao cair da noite, deixa as janelas abertas para que o ar frio nocturno entre e circule pela casa. Durante o Inverno, deves deixar os estores abertos nas janelas onde o sol incide mais, de modo a contribuir para o aquecimento da casa

16. Mantém o frigorífico e microondas livres de sujidades e gorduras

17. Afasta os equipamentos de frio de fontes de calor

18. Opta pelos sistemas solares térmicos para a climatização da habitação, aquecimento das águas domésticas e das águas da piscina e pelos painéis fotovoltaicos para a produção de energia eléctrica

AVE

sábado, 1 de agosto de 2009

Conselhos Ambientais - Reduzir, Reutilizar e Reciclar e Consumo responsável e consciente - Por que não relembrar?

Reduzir, Reutilizar e Reciclar - Regra dos três R's e Consumo responsável e consciente
1. Separa sempre todos os resíduos e coloca-os nos respectivos contentores ou entrega-os em centros de recolha (papel e cartão - ecoponto azul; plásticos e embalagens de plástico, metal (embalagens de alumínio, por exemplo), embalagens de leite e de outros líquidos (por exemplo, embalagens Tetra Pak), esferovite (limpa) - ecoponto amarelo; embalagens de vidro reciclável - ecoponto verde; pilhas e pequenas baterias - pilhão; lâmpadas incandescentes ou outras - entregar na compra de lâmpadas economizadoras; equipamentos eléctricos e electrónicos e lâmpadas fluorescentes fundidas - depositar no ponto electrão; óleos alimentares usados - oleões; óleos de veículos motorizados - centros de recolha; baterias de automóveis e outros veículos; tinteiros e tonners; resíduos orgânicos (compostagem e vermicompostagem); embalagens de pesticidas - utilizar o Sistema Valorfito (sistema de gestão de embalagens de produtos fito-farmacêuticos); medicamentos fora de uso e embalagens vazias de medicamentos - entregue-os em qualquer farmácia; tintas, vernizes, diluentes, solventes, ácidos - entregar nos ecocentros; pneus; rolhas de cortiça (Projecto Greencork da Quercus - Recolha e Reciclagem de rolhas de cortiça usadas)
2. Enche sempre ao máximo os sacos de plástico com os resíduos indiferenciados de modo a enviar menores quantidades de sacos de plástico para os aterros
3. Minimiza a produção de resíduos sólidos, poupando dinheiro ao adquirir embalagens com maior capacidade e produtos com pouca embalagem, sempre que possível recicláveis
4. Utiliza papel 100% reciclado e livre de cloro sempre que possível
5. Utiliza pilhas recarregáveis
6. Usa o verso de folhas impressas para rascunhos ou novas impressões
7. Nunca desperdices papel
8. Quando fizeres as tuas compras dispensa os sacos plásticos e leva os teus próprios sacos (de plástico ou de pano) para transportares as tuas compras
9. Se precisares de pintar algo ou de usares diluentes ou solventes, compra apenas as quantidades de que irás necessitar
10. Procura utilizar tintas ecológicas ou pelo menos à base de água (sem solventes), por exemplo, procurando tintas com o Rótulo Ecológico Europeu
11. Evita usar solventes, colas e ácidos
12. Escolhe produtos ecológicos ou com etiqueta ou rótulo ecológicos
13. Evita as garrafas de vinho que utilizam rolhas de plástico
14. Opta por fraldas de pano (de preferência de algodão biológico) e não pelas descartáveis
15. Evita comprar produtos de usar e deitar fora, tais como papel de cozinha, guardanapos (se estiveres muito habituado aos guardanapos de papel podes optar por guardanapos 100% reciclados), toalhas de papel, talheres e copos de plástico, etc... Guarda os alimentos fatiados em caixas em vez de usares papel de alumínio ou película de plástico
16. Opta sempre que possível por produtos feitos localmente
17. Compra brinquedos de madeira em alternativa aos de plástico
18. Nunca compres madeiras exóticas não certificadas ou de proveniência duvidosa
19. Prefere velas de cera de abelha ou de soja a velas de parafina
20. Opta por pneus recauchutados
21. Repara os equipamentos avariados antes de comprares um novo
22. Não coloques nunca no contentor para resíduos indiferenciados resíduos potencialmente tóxicos
23. Opta por detergentes e produtos de limpeza biodegradáveis e ecológicos
24. Partilha os teus livros, cd's, dvd's e outros objectos/materiais com amigos, familiares, vizinhos, colegas, conhecidos, etc...
25. Tem sempre em atenção às doses excessivas usadas dos produtos de limpeza e de higiene pessoal. Usa só a quantidade estritamente necessária
26. Tenta aproveitar ao máximo, sempre, todos os teus materiais e objectos, não te esqueças de reutilizar tudo o que puderes e quando já não necessitares de alguma coisa lembra-te que há sempre alguém que pode fazer proveito desse mesmo objecto ou material, lembra-te das instituições de solidariedade social (roupas, mobiliário, equipamentos eléctricos e electrónicos em funcionamento, livros, cd's, dvd's, consolas, brinquedos fazem sempre falta). Não encaminhes esses objectos e materiais para aterros
27. E lembra-te sempre que a Redução de desperdícios é essencial para caminharmos em direcção ao Modelo de Desenvolvimento Sustentável

AVE

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Obrigado GREENPEACE!

É tempo de Agir. Não vamos desistir. LUTAR! LUTAR! Nós queremos o Verde Planeta.

A Força da Mudança. A nossa Aventura Ecológica. Nós temos um sonho. E esse sonho será realidade nas nossas Vidas. O movimento Ecológico é a Força Positiva. E o nosso Sonho tem pureza, inteligência e simplicidade. Esse Sonho chama-se Humanidade Sustentável!

Obrigado Greenpeace pelos espectaculares vídeos. Pela Força de um Verdadeiro Desenvolvimento Sustentável para Portugal e para o Planeta Terra.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

O caos da degradação

Hoje, todos conhecemos as lágrimas do Planeta. Conhecemo-las e conhecemos também as causas. Porém, parece que tanto conhecimento não serviu para a aprendizagem. Dilacerámos a Natureza com a ganância do mundo moderno e, agora, as consequências são irretornáveis.
Durante dois séculos, a humanidade deixou-se seduzir pela vanguarda, a produção massiva, os recursos altamente energéticos, as inovações tecnológicas e o desejado crescimento económico. Assim, desmedidamente as indústrias propagaram-se como espécies exóticas e, esmagaram pequenos comércios ou produções artesanais, raptaram milhares aos campos e trouxeram-nos para as cidades. Exponencialmente, cresceram. Economicamente é certo, o mundo industrial moveu-se e destacou-se. Porém, uma outra faceta - esta não tão glorificante - crescia com ele nos bastidores.
Aos poucos, as águas, os solos, o ar sofriam tacitamente com essa sumptuosidade do poder industrial. Incapazes de se sobreporem, foram deixando sinais e, na actualidade revelaram-se uma força dura de combater.
Então, assistimos à devastação de culturas, alterações drásticas de temperatura, movimentos vingativos das encostas, libertações furiosas de tensões acumuladas no interior da Terra e um planeta irreconhecível.
Tristemente, somos assolados diariamente com notícias de catástrofes ditas "naturais". Ora, de naturais pouco têm mas, de algum modo, o Planeta tinha que se impôr. E, enquanto uns se envaidecem da riqueza gerada pela sobre-exploração dos recursos, a outros são ceifadas as vidas, cruelmente...
É custoso admitir que sofremos de um mal por nós criado. Mais, ver que hostilizamos um bem que é inalcançável com outros que tão facilmente se geram, como desaparecem. Felizmente há uma escapatória, que talvez reduza essa tremenda dissonância cognitiva, a reacção, isto é agir agora conforme as Leis da Natureza e procurar o retorno.
Convergimos, assim, para uma solução única e irrefutável, a solução do mal encontra-se tão somente em reagir e ironicamente defender o que tão docilmente nos foi cedido sem qualquer mérito.
A.M.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Redução do consumo de sacos plásticos

Uma das lutas iniciais de um dos elementos da equipa da AVE está relacionada com o incentivo à taxação de um valor monetário dos sacos plásticos por parte dos supermercados e hipermercados existentes no nosso país.

Consideramos a proliferação dos sacos plásticos um grave problema ambiental, mais pelo facto de serem fabricados a partir de naftas, produto resultante da refinação do petróleo bruto, tendo associado ao processo de fabrico a libertação de gases de efeito de estufa, mas também devido ao facto de se verificar cada vez mais a proliferação de plásticos (não só sacos plásticos, claro está) pelos solos, cursos de água, mares e oceanos. O desperdício também é algo que queremos evitar, e para a AVE é notório um evidente desperdício de sacos plásticos por muitas das lojas existentes em território nacional.
Defendemos como medida inicial uma redução nos consumos de sacos plásticos por parte dos consumidores, apelando à reutilização constante de sacos de plástico, de pano ou de outros materiais.
O nosso elemento da equipa começou por incentivar as lojas pertencentes ao Grupo Sonae a aplicar uma taxa (sugeriu-se uma valor de 2 ou 3 cêntimos) aos sacos plásticos que facultam aos seus clientes. O objectivo único desta medida é reduzir os consumos de sacos plásticos, através de maior reutilização de sacos por parte dos consumidores ou então através de um melhor aproveitamento de cada saco. Verifica-se que esta medida é eficaz pelo exemplo das lojas Lidl e Pingo Doce. Elementos da Associação verificaram maior percentagem de clientes dessas lojas que levavam os seus próprios sacos ou caso não os levassem aproveitavam ao máximo todo o volume interior dos sacos facultados/vendidos pela própria loja.
Continuaremos a incentivar as lojas do Grupo Sonae a aplicar esta medida e iremos incentivar outros supermercados e hipermercados a aplicar uma taxa a todos os sacos plásticos que facultam aos clientes.
Desde já, apelamos a todos os leitores deste blogue que pressionem as lojas que frequentam a aplicar uma taxa monetária aos sacos plásticos, caso essas mesmas lojas ainda facultem sacos plásticos gratuitamente.
E fica aqui a frase que está por detrás de toda esta luta: Sempre que possível iremos reduzir os consumos dos vários materiais, em seguida previlegiemos a reutilição dos objectos e materiais, e sempre após estas duas etapas iremos colocar todos os materiais nos locais próprios tendo como fim a sua reciclagem.. ou seja:
1º. Reduzir 2º. Reutilizar 3º. Reciclar.
AVE.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Detergentes Ecológicos

Caros cidadãos responsáveis, hoje a AVE vai deixar-vos, neste artigo, alguns conselhos sobre detergentes mais ecológicos. Experimentem!
  • Para limpar tudo: 4 colheres de sopa de bicarbonato de sódio num litro de água morna. Adicionar uma colher de sopa de vinagre branco ou sumo de limão para dissolver a gordura.
  • Para desentupir o lava-loiça: Deitar no ralo um pouco de bicarbonato de sódio, algumas colheres de vinagre branco e água a ferver.
  • Para limpar os vidros: Passar uma solução de água e vinagre e depois usar papel de jornal para dar brilho.
  • Desodorizante de ambiente: 4 colheres de sopa de vinagre numa tigela colocada sob um móvel. As plantas também funcionam como óptimos purificadores do ar.
  • Para encerar: Misturar uma parte de óleo vegetal, como a linhaça, com outra parte de sumo de limão ou vinagre, e aplicar com um pano de flanela.
  • Para dar lustro aos móveis: Fazer uma solução de uma parte de sumo de limão e duas partes de óleo vegetal. Dar brilho com um pano de flanela.
  • Desinfectante sanitário: Misturar bicarbonato de sódio com vinagre.
  • Adubo natural: Um verdadeiro adubo para as plantas pode ser obtido com substâncias normalmente desprezadas e desperdiçadas. A água onde cozinhas as batatas (sem sal e fria), a água da lavagem do arroz, os restos de chá preto, a borra do café – tudo isto funciona como um excelente adubo. Da mesma maneira, as cascas de batata e de cenoura podem ser colocadas directamente nos vasos para ajudar o desenvolvimento das plantas.
  • Pesticida natural: Ferver folhas de ruibarbo durante cerca de meia hora em 4 litros de água. Acrescentar uma colher de chá de sabão de coco, para a mistura aderir às folhas e expulsar os pulgões.
  • Para tirar o ruído das portas: Se a porta estiver rangendo, fazer uma mistura de raspa de grafite (ponta de lápis) e algumas gotas de óleo de cozinha. Colocar aos poucos nas dobradiças, fazendo um movimento de abrir e fechar a porta, para que a mistura penetre bem nas dobradiças.
  • Para tirar manchas: as manchas de gordura são retiradas com uma mistura de água quente com sabão e umas gotas de detergente (de preferência biodegradável). Lavar e, se restar algum vestígio, polvilhar com talco e deixar durante algumas horas; esfregar um pedaço de cebola também resolve. As manchas de frutas e doces desaparecem com álcool ou vinagre branco e as manchas de tinta de escrever devem ser lavadas com leite. Na falta de leite, também pode ser usado um pouco de sal humedecido com limão e colocado sobre a mancha, lavando-se em seguida. A mancha de café desaparece esfregando imediatamente, e com paciência, uma pedra de gelo até que a mancha acabe por desaparecer.
  • Para espantar moscas e mosquitos: Folhas de louro, eucalipto e manjericão, maceradas em água ou espalhadas pelo ambiente.
  • Para evitar as traças: Usar cânfora, em vez de naftalina. É tão eficiente e menos tóxica.
  • Para afastar pulgas: Lavar os animais de estimação com água e sabonete (de preferência, feito com óleo de neem, que possui uma acção repelente sem ser tóxica). Enxugar. Aplicar a seguinte solução para manter as pulgas à distância: 2 colheres de sopa de alecrim fervidas em um litro de água. Espalhar também pela casa folhas de erva-de-Santa-Maria e poejo.
  • Para afastar os parasitas das plantas: Colocar no liquidificador 3 cebolas, 1 cabeça de alho, 2 pimentas-malagueta e 1 colher de sabão em barra. Bater com meio litro de água e espalhar esta mistura nas plantas. Pode-se também colocar alguns dentes de alho em um pouco de água (se possível água de chuva) e deixar impregnar por cerca de dez dias. Usar, depois, num sprai para pulverizar as plantas.
  • Pasta de limpeza: Em vez de desperdiçar os restos de sabão (de preferência biodegradável), reaproveita-os numa excelente pasta de limpeza. Basta deixar os restos de sabão de molho num pouco de água (o necessário para formar uma pasta) e, depois, misturar uma colher de vinagre e duas colheres de açúcar.
  • Para tirar a humidade: Colocar um recipiente com pedaços de carvão no fundo dos armários, ou então pendurar pedaços de giz.
  • Fórmula mágica: A velha combinação de água quente e sabão (de preferência biodegradável) continua a ser o melhor detergente. Limpa pisos de cerâmica, ladrilhos e azulejos, tira manchas de paredes e a gordura das superfícies.

domingo, 7 de junho de 2009

Algumas curiosidades sobre a Reciclagem

  1. Sabias que reciclar 1 t de alumínio significa economizar 7200 kWh de energia, 1,8 t de bauxite e 1 t de produtos químicos?
  2. Sabias que o vidro é reciclável sem limite e sem perda de qualidade?
  3. Sabias que a reciclagem do vidro reduz em 32% o consumo de energia em relação à produção de vidro novo?
  4. Sabias que para cada 100 t de plástico reciclado se economiza 1 t de pretóleo?
  5. Sabias que a produção de vidro pela reciclagem reduz em 50% a quantidade de água usada nessa actividade?
  6. Sabias que a incineração de 10.000 t de lixo cria apenas um posto de trabalho?
  7. Sabias que o aterro de 10.000 t de lixo gera seis novos postos de trabalho?
  8. Sabias que a reciclagem de 10.000 t de lixo pode proporcionar postos de trabalho para cerca de 40 pessoas?

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Por onde começar?

Esta mensagem é dirigida sobretudo a todos aqueles que ainda não seguem uma linha de comportamentos ambientalmente correctos. Queremos começar por vocês. Falar convosco. Convidar-vos a aderir a esta equipa que luta e sempre lutará por um Planeta mais limpo, mais verde e mais sustentável. Por onde começar, então? Aquilo que toda a gente tem a possibilidade imediata de realizar sem qualquer perturbação na sua vida diária tem que ver com a tão fácil e interessante separação de resíduos com o consequente encaminhamento para os locais adequados, tendo como objectivo último a valorização e reciclagem desses mesmos resíduos.

Em seguida, apresenta-se uma lista dos possíveis resíduos que todos nós podemos encaminhar para reutilização, valorização ou reciclagem:
  1. Plásticos / Metais - embalagens, Esferovite Limpa
  2. Papel / Cartão
  3. Vidro de embalagem
  4. Têxteis
  5. Pilhas e pequenas Baterias
  6. Rolhas de Cortiça
  7. Tinteiros e Tonners
  8. Óleos Alimentares usados
  9. Lâmpadas
  10. Pneus
  11. Equipamentos eléctricos e electrónicos
  12. Resíduos orgânicos
  13. Embalagens de pesticidas (insecticidas, herbicidas, fungicidas, raticidas, etc)
  14. Óleos Não Alimentares
  15. Tintas, Vernizes, Ácidos, Diluentes, Solventes e outros produtos do género
  16. Madeiras
  17. Manuais escolares usados
  18. Roupas, Livros, Mobiliário
  19. Radiografias
  20. Medicamentos e Embalagens de medicamentos
  21. Resíduos de Construção e Demolição (RCD) - vulgo entulhos
  22. Baterias (por exemplo de automóveis)
  23. Veículos em fim de vida

AVE


sexta-feira, 29 de maio de 2009

Somos AVE

Decidimos agir. Construir. Não passar ao lado da degradação ambiental. Vamos arriscar. Vamos ser fortes. Trabalhar. Empenharmo-nos. Acreditamos que iremos vencer. Participar na Revolução Verde. Acreditamos e seguimos os princípios de uma Filosofia Ambiental. Acreditamos que a mudança no mundo passa pela progressiva mudança de consciência, comportamentos, atitudes em cada ser humano. O ser humano em si não tem poder na sociedade. Mas o conjunto, os grupos têm o impacto necessário. Acreditamos no sucesso da nossa Associação. Somos a Verde Esperança. Cada tarefa, cada projecto, cada gesto, cada palavra, cada luta, cada vitória valerá a pena. Por isso, não nos deixaremos abater por alguma derrota inesperada que possa vir a suceder. Por isso, somos a VERDE ESPERANÇA. Somos AVE - Associação Verde Esperança.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Associação Verde Esperança - AVE - a esperança verde num futuro mais sustentável

Durante o segundo semestre do presente ano 2009 será formada e organizada a Associação Verde Esperança - AVE.

Ficou logo desde início bem definido que será criada uma associação que tem por base o compromisso de luta democrática por um desenvolvimento sustentável. A Associação Verde Esperança - AVE será uma associação puramente ecologista e ambientalista, decididamente apartidária, e sem fins lucrativos.

A Associação Verde Esperança - AVE - terá como força propulsora uma equipa permanente com cerca de dez (10) elementos. Contudo, todos os sócios da Associação poderão participar nas reuniões semanais e vir a integrar a equipa permanente.


Alguns dos principais objectivos gerais da Associação Verde Esperança - AVE - serão:



  • Educação e Sensibilização nas temáticas ambientais;


  • Conservação da Natureza, Defesa do meio ambiente e dos valores ecológicos e naturais e Defesa dos Direitos dos Animais;


  • Promoção e Incentivo a um Desenvolvimento Sustentável;


  • Divulgação de iniciativas e projectos de defesa, conservação e protecção do ambiente;


  • Colaboração com associações de solidariedade social.

Após formação da equipa permanente principal serão definidas as prioridades base da associação nos seus primeiros tempos de vida.


Teremos como linha de trabalho a seriedade, a competência, o empenho na defesa dos valores naturais do nosso Planeta Terra.


Em breve, serão facultadas mais informações sobre o processo de formação da Associação Verde Esperança - AVE.


AVE.